Ouvir e escutar

Entender as pessoas é uma tarefa reservada aos grandes sábios e estudiosos. Para mim é um grande mistério.

Excluindo as questões técnicas da língua culta, “escutar” é o termo que uso para me referir ao ato de deixar as palavras do interlocutor entrar pelo seu pavilhão auditivo. Mas “ouvir”, que é totalmente diferente, faz parte da minha profissão. É algo muito mais elaborado. Requer algum esforço do ouvinte, é preciso então perceber o som e procurar entender a mensagem.

Os piratas que trabalham em serviços alimentação, em geral, se tornam brutos e cascudos. No entanto, é obrigação do líder olhar cada um sem essas mascaras. Perceber porque eles sofrem e quando ficam orgulhosos. É necessário regar as qualidades de cada colaborador como se fosse uma planta.

Mas tudo isso, apenas se você quiser o respeito deles. Se o seu objetivo for criá-los com medo é muito mais simples: contrate uns 12 para depois de 3 meses ficar apenas com 8 ou 9. Grite com cada um que cometer o menor erro como se fosse o mais imbecil dos seres humanóides, e pronto! Na sua frente todos o tratarão com muita deferência, silenciarão todas as conversas quando você entrar no ambiente, e os mais talentosos seguiram os requintes das técnicas na sua presença. Apenas para assim que você se ausentar imitar o seu andar, ou sua forma de falar. Serão sarcásticos e, não tenha nenhuma duvida, irão trair você na primeira oportunidade.

O respeito é melhor do que o medo. Eles vão querer bem quem os respeitar e os tratar como humanos. É importante poder se ausentar e ainda assim estar tranqüilo que eles estarão agindo como se estivesse lá. Não pense que serão iguais a você, ou que teriam o mesmo desempenho nas mesmas tarefas. Mas, pode ter certeza que estarão tentando realmente fazer o melhor que puderem.

Tempos atrás tive um funcionário, que não possuía um cargo de muita responsabilidade, mas que na minha ausência agia conforme fosse melhor para si próprio. Obviamente esteve para ser demitido, entretanto foi salvo pelas conjunturas. Sem poder substituí-lo imediatamente só tive uma alternativa: resolvi “abrir o jogo” e explicar como estava insatisfeito com o trabalho dele.

Foi ótimo! Tivemos uma excelente conversa onde ficou esclarecido que ele tinha um problema sério com drogas e álcool. Era um rapaz novo, e precisava de alguma orientação. Precisava até mesmo de carinho fraternal. Pois ele ficava muitas horas no turno da noite, sem falar com praticamente ninguém. Isolado numa cidade grande, longe da sua família. Fui duro, mas ouvi o que ele tinha para dizer.

Fico feliz em relatar que ele não é mais um problema. Incorporou-se ao time, resolveu por si os assuntos particulares, e dedicou-se ao trabalho. Foi promovido. Ele aprendeu uma profissão linda e eu ganhei mais um amigo.

Que você tenha muita paciência e tranqüilidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: