Espaço Carioca de Gastronomia

Fiz a minha aula de estréia no Espaço Carioca de Gastronomia. Um lugar muito bonito e bem acabado. A escola é voltada para um público que não necessariamente quer tornar a arte culinária a sua carreira. O objetivo é que as aulas sejam completas, mas sem a carga da busca pela perfeição da técnica.

O meu amigo Haroldo Lethias, junto com seus sócios, montou uma equipe de professores (todos chefs conhecidos) para ministrar as aulas. Nomes como Renato Freie, Carlo Mocki, Steve Moreillon, Carla Barroso, Paulo Araújo, Pedro Pecego, além do próprio Haroldo e eu. Uau! Realmente fiquei muito orgulhoso de fazer parte de um time assim! A última vez que estive num time assim foi no jantar comemorativo dos 15 anos da ABAGA!

A estrutura física é das melhores: os laboratórios foram desenhados com cuidados ergonômicos, e estéticos. A sensação não é de uma cozinha profissional, mas de uma bela e bem equipada sala de aulas de culinária. Veja no Facebook.

Como sou coordenador técnico no curso da UNIRIO já me antecipo a pergunta que muitos farão: mas qual dos dois cursos é melhor? Seria ridículo, para mim, defender ou atacar qualquer um dos dois. Mas posso deixar claro para quem quiser me ouvir: os professores são comuns aos dois cursos, e o que fica como diferença básica é o objetivo do aluno em relação aos seus estudos.

Meu pai, motivo de muito orgulho para mim, é um excelente professor. O que por um lado me atraía e por outro me afastava dessa carreira. Imaginem como era fascinante para mim ver o meu pai ser venerado pelos seus alunos, e ao mesmo tempo como é difícil “competir” com uma figura dessas. Muitas vezes me pergunto ”o que meu pai faria agora?”. Mas uma das suas frases, repetidas a exaustão para mim, era “quem faz a escola é o aluno”! Mais uma vez tenho que concordar. Quem está estudando é que vai direcionar os conhecimentos que está recebendo.

Sobre a turma da minha primeira aula posso dizer que com certeza aproveitaram, a degustação foi um sucesso. A comida contemporânea tem como uma característica marcante a aproximação com as outras artes. Então não basta ser bonito, ou ser gostoso, é muito importante emocionar. É possível contemplar uma obra de arte e gostar ou não. Mas ficar indiferente… isso jamais! E sendo assim, pude ver o brilho das idéias surgindo no rastro das minhas receitas.

Culinária vegetariana, finger food e comida contemporânea. Esse sou eu! E é isso que estou ensinando lá! Vale a pena conferir!

One response to this post.

  1. Posted by anna paiva on 12 de fevereiro de 2011 at 4:18 pm

    Oi André ,
    Muito legal !Parabéns!
    Anna

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: