Comida de festa junina

Fui criado num subúrbio do Rio de janeiro. Lá as festas juninas, que acontecem nas ruas, e são grandes acontecimentos, tornando a presença praticamente obrigatória para os adolescentes.

Aécio - Festa Junina

A estrutura desses eventos é basicamente um cavalete de cada lado de um quarteirão, fechando o trânsito aos veículos; um palanque muito simples, para que o equipamento de som seja montado; diversas barraquinhas de comidas “típicas”; e, finalmente, um monte de pessoas andando para cima e para baixo sem parar. Já fico rindo sozinho só de lembrar a simplicidade do evento. Nem sei se ainda acontecem, mas tenho tantas memórias disso que ficaria feliz em saber que sim.

Mas, e quanto à comida? Quais eram mais populares? Quais seriam mais representativas? E as mais saborosas?

Primeiro achei que estivesse ficando esquecido: minha memória apenas registrava coisas banais como milho cozido, pipoca, salsichão, e doces, mas muitos doces mesmo. Doces caseiros, cocadas, paçoca doce, pé de moleque, maçã do amor e espetinhos de frutas com chocolate. Acrescente-se ai ainda coisas mais triviais como churrasquinhos e caipirinhas de frutas diversas. Depois fui para a Internet e procurei com afinco. O que encontrei foi uma lista de itens que realmente coincidia com as minhas lembranças.

Descobri que aqui no Brasil, tais festas (São João, São Pedro e São Antonio) são muito comuns no Nordeste, onde as pessoas comemoram as chuvas. Como a colheita do milho é aproximada dessa época as preparações não poderiam ser de outro produto: acrescente-se então aquela lista anterior itens como curau, canjica e pamonha.

E em relação às tradições como danças, fogueiras, balões, e até mastros, parecem ter sido importados da Europa.

Mas a verdade é que encontrei pouquíssimas preparações “salgadas”, ou que pudessem representar genuinamente os festejos. Uma coisa é comida nordestina, outra seria alguma coisa mais especifica.

Isso me lembrou de um texto de Miguel Sem, que dizia assim “Se é difícil captar detalhes de uma cozinha de terroir que possam ser assimilados numa cozinha internacional, a concepção e assimilação de técnicas e de outras culturas, muitas vezes ancoradas em posturas antropológicas que nos são estranhas, é ainda mais complexa”.

A interpretação de receitas oriundas de outras culturas é uma tarefa difícil, mesmo quando você já é um profissional. No caso das festas de rua… Imaginem o tamanho da preocupação com a fidelidade a aspectos culturais do pessoal das “barraquinhas”, diga-se de passagem, são basicamente os mesmos que oferecem os “podrões” durante o restante do ano, certo?!

Toda essa pesquisa começou com um desafio do pessoal do Espaço Carioca de Gastronomia: eles me pediram uma aula de Finger food, com essa temática. Confesso que tremi. Conforme já expliquei encontrar um viés que honrasse as tais tradicionais festas, e ao mesmo tempo fosse elegante o suficiente para ser servido em eventos fechados, não seria nada fácil.

Elementos comuns nas receitas típicas!

Bom, escrevi o cardápio. Segui a velha técnica de listar em algumas folhas de papel os ingredientes mais recorrentes nas receitas tradicionais. Depois as agrupei de forma que os sabores fossem realmente harmônicos. Tomei o máximo de cuidado para não perder o clima das guloseimas de rua. Mas o resultado final, só no dia da aula. Aos interessados acompanhem a programação das aulas no website deles.

De qualquer forma aproveitem a época para enriquecer o que eu gosto de chamar de “Memória Gustativa”, o acervo de gostos que nós acumulamos ao longo da vida. É a base para amadurecermos o nosso paladar e proporcionar prazeres mais completos com as refeições.

Boas pesquisas com degustação!

One response to this post.

  1. Posted by Luciana arraes on 16 de maio de 2011 at 9:40 am

    Ontem aconteceu o 9th avenue international food festival em ny: 20 quarteiroes só de barraquinhas de comida. Muito kebab, muito gyro, hot dogs, arepas e crepes. Mas sucesso mesmo eram as barraquinhas de oreo (o biscoito) frito. Filas enormes pra comer 6 oreos fritos pela bagatela de 5 dolares. Outra mania é comer twix (o chovolate)

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: