Buffets e buffets…

Normalmente não tenho muito tempo para fazer aparições em restaurantes. Então, fico meio escondido em um dos meus trabalhos, concentrado, produzindo. Sou uma pessoa reservada mesmo. Mas na semana passada estive em dois lugares tão distantes, no que se refere ao nível do serviço oferecido, que senti necessidade de compartilhar essas experiências.

Estive em um restaurante, desses dentro de um clube, como quase sempre a comida é servida em Buffet, e estava distribuída em bandejas e réchauds. Estava muito gostoso? Não! Estava muito bonito? Não! Então o objetivo do chef quando fez aquilo era deprimir as pessoas?

Depois comecei a perceber a “música” ambiente. Era tocada ao vivo, por um tiozinho com a maior boa vontade, e pouco talento. Mas era suportável. Até que ele resolveu improvisar… cantando uma versão de “Parabéns para você”, estilizada, mas ainda muito cafona.

Fiquei tentando me distrair ocupando o meu olhar com o serviço. Na mesa ao lado um garçon tentava trocar as roupas da mesa, para deixá-la pronta para o próximo cliente que já esperava, de pé e impaciente, ao lado da mesa. O desastre já era previsível, mas eu não poderia imaginar o show que estava por vir.

Tirou todos os cobre-manchas pois estavam sujos… daí percebeu que devia ter feito isso sem a presença dos clientes, pois as toalhas também estavam sujas. O dilema se apresentou: colocava a roupa limpa na mesa suja, ou trocava tudo mostrando uma mesa nua em péssimo estado. Coitado! Resolveu (eca!) colocar apenas os cobre-manchas limpos.

Sócios de clubes se acham os donos do restaurante, e os garçons ficam em situação muito difícil. Precisam servir a todos, da melhor maneira possível, e ainda assim precisam atender aos caprichos dos comensais.

Lá pelas tantas, entrou no salão um rapaz alto, que me pareceu o chef. No post em que eu falei sobre uniforme faltou dizer que se você vai aparecer no salão do restaurante durante o serviço você precisa estar impecável. Os clientes esperam por isso. Mas de qualquer forma eu acho que a tal pessoa não leu meu blog.

Uma das pessoas que estava na minha mesa chegou a perguntar/exclamar quando o avistou: Mas que roupa é essa?!

Ri muito. O tamanco e a calça, sofridos da batalha, estavam denunciando o quanto o dia foi difícil para ele. O avental pertencia a um defunto muito maior, estava muito abaixo do joelho, quase sobre os sapatos. A gambuza, muito limpa e bem passada por sinal, estava dois terços dentro do avental e o resto solto. A gola estava metade dobrada para dentro. Enfim, parecia que ele precisou fugir e não teve tempo de passar na frente de um espelho. Foi engraçado. Mas tudo bem, a idéia era ser um lugar simples.

Para contrastar participei de um jantar no meio da semana. Era a abertura da Mostra Sabores Latinos, promovido pela ONG Descobrindo a América Latina.

Fui convidado e não sabia exatamente o que iria acontecer, mas acabei adorando o episódio. As meninas da Malagueta Comunicação estavam no comando, inclusive elas puseram uma nota no seu site descrevendo tudo. Provar novos sabores, jantar com chefs, e poder compartilhar as sensações, foi ótimo! Uma mesa bem grande foi montada, e nela estavam alguns jornalistas especializados e muitos chefs importantes. A conversa fluiu fácil, foi muito divertido.

Ao contrário do primeiro evento, o serviço foi impecável. Desde o welcome drink até a sobremesa, as taças estiveram cheias, e as mesas limpas. O Buffet lindamente decorado dava uma pequena mostra da rica cultura gastronômica do Equador.

Para finalizar, queria acrescentar que o tipo de serviço não determina por si próprio, a sua qualidade. Estive na mesma semana em dois lugares onde o tipo de serviço era Buffet, mas os resultados foram completamente diferentes.

Boa sorte na sua próxima refeição.

3 responses to this post.

  1. Tem um texto do Luiz Fernando Veríssimo que diz tudo o que eu sempre achei de buffets. O texto chama-se “o buffet” (duh) e se não me engano está no livro “A Mesa Voadora”. Genial!!!

    Responder

  2. acho que às vezes as pessoas esquecem que estão servido o cliente, e não em uma gincana para colocar comida mais ou menos quente de qualquer jeito no rechaud…

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: