Sou cozinheiro

Tenho um amigo, um grande amigo, que se chama Harold Lethiais. Ele é um francês radicado aqui no Rio há muitos anos. Apesar de avesso a utilização da mídia é um dos grandes cozinheiros que a cidade dispõe, com larga experiência e muita criatividade. Confesso: sou um fã!

Chef Harold Lethiais em ação!

Para começar essa estória preciso contar como nos conhecemos. Eu já estava estudando para mudar de carreira e me transformar em cozinheiro profissional quando um conhecido do trabalho veio com a notícia de que a ABAGA – Associação Brasileira de Alta Gastronomia, e a escola de Nutrição da UNIRIO, estavam promovendo um curso de gastronomia muito sério, e por um preço honesto.

Não pude nem hesitar porque fiquei sabendo da existência do curso justamente no ultimo dia de inscrições. Corri feito um louco, fiz a inscrição, meio sem saber exatamente para que, e fui fazer a entrevista de seleção. Enquanto esperava, fiquei sentado entre dois homens, que regulavam com a minha idade. Como éramos os últimos da fila tivemos tempo de conversar e então, quase petrificado, descobri que os dois já eram donos de restaurantes, de redes de restaurantes. Desanimei, achando que seria esquartejado na entrevista.

Quando ouvi o meu nome sendo berrado na sala ao lado, num sotaque muito estranho, cheguei a pensar em desistir para não passar vergonha. O meu entrevistador era o Harold. Naquela época, ele era agressivo-assertivo, e muito sério. Perguntou-me algumas coisas, explicou como o curso funcionava, e depois me fez explicar porque eu gostaria de entrar para a Gastronomia. Eu estava tentando dizer que já estava fazendo cursos, e que cozinhava para os meus amigos, quando ele interrompeu bruscamente. “Agora só basta saber se eles realmente gostam da sua comida, ou se são gentis com você!”. Tudo terminou bem, fui admitido.

Durante o curso, o “francês”, foi muito duro comigo. Exigente. Critico, muito critico. Inclusive posso garantir que a ferramenta mais afiada que ele usava era a língua. Ele até hoje não tem restrições em dar as suas opiniões. Se não está bom, é uma “merde”!

O tempo passou e o medo transformou-se em admiração, e depois em amizade. Hoje, tenho um profundo respeito pelo grande profissional que ele é, e tenho um sentimento de gratidão pelo profissional que ele ajudou a me tornar.

Do alto da sua capacidade de síntese ele elaborou, numa linguagem simples e objetiva, um pequeno livro que contém praticamente todos os conceitos que um cozinheiro precisa para dominar a profissão. Dicas de nutrição, história da alimentação, cozinha regional, conceitos e técnicas da culinária, planejamento de menus, descrição das funções, hierarquia, e sei lá quantas outras coisas poderiam ser listadas aqui. É um livro completo, direto e com muita personalidade, exatamente como o autor. Vale a pena uma conferida!

Capa do livro!

Boa leitura!

11 responses to this post.

  1. Comprei o livro na quarta-feira com a intenção de colocá-lo no fim da pilha de leituras futuras. Dei uma folheada e fui fisgada. Leitura super fácil, agradável e cheio de ilustrações. Bom pra quem estuda gastronomia e bom também pra quem não estuda. Bom pra cozinheiros e pra curiosos. Recomendo!!!

    Responder

  2. Posted by eliane pinto de araujo correa on 11 de outubro de 2011 at 2:31 pm

    obrigada pelo comentario, pois estava na duvida se deveria comprar, e sua opinião me ajudou.

    Responder

  3. Posted by Tânia Baggio on 11 de outubro de 2011 at 9:28 pm

    Comprarei assim que puder. Sua descrição de Harold foi perfeita ou melhor, se não estiver bom, está uma¨MERDE¨!! Adorei, bjs.

    Responder

  4. um dos melhores caras que já conheci…ele me entrevistou tb e esteve do meu lado, me ajudando até a ultima prova…adoro…vou comprar com certeza…

    Responder

  5. Posted by Cláudia on 3 de dezembro de 2011 at 3:29 am

    Comigo, também foi assim. O tempo todo exigindo de mim. Mas foi otimo. Pois acho que com todo seu conhecimento exigiu mais de quem viu algo mais.
    Também aprendi a gostar e respeitar o CheF.
    Realmente pessoa incrivel.

    Cláudia
    Índia

    Responder

  6. Posted by Sammia on 1 de setembro de 2013 at 9:59 pm

    Olá! Profº! Todo bem? Adorei a história de como conheceu o Harold! Fiquei imaginado a sua carinha ouvindo ele “berrando” seu nome..Rsrs. Eu sempre penso assim: Ele dá um “esporro saudável”, pois não nos faz desistir, mas sim batalharmos até aprendermos e conseguirmos acertar!!! Gosto muito dele, e tenho uma enorme admiração e orgulho por ser meu professor. O livro é ótimo!!! Inclusive hoje peguei o autógrafo. Saudades das suas aulas lá na Pós de Nutrição Aplicada à Gastronomia, o tempo passa rápido, só falta 2 meses para Formatura…E que venha a Prova Final…E os “esporros”…Rsrsr. Abços!!! Sammia de Oliveira.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: